12 de abril de 2012

Para colorir a tarde.




Hoje, a caminho do ócio,
vi no resto de esperança,
A paz brincando com o vento do amor.
E para melhorar a suave situação,
O meu sonho amarelo de ser poetisa
Passa correndo diante de mim.
Logo na sequência, a minha determinação,
Correndo atrás dele.
O que me aparentou ser uma louca alucinação.

Já no lugar do ócio,
Eu vi a minha felicidade
Se debatendo contra o vidro,
Querendo passear pela cidade.
Ao me aproximar e tocá-la,
Eu acreditei, por um segundo, que borboletas 
Vão além de vinte e quatros horas.


Um comentário: